Como resistir a uma compra por impulso?

O post da semana passada falou sobre a rotina de manter uma listinha das reais necessidades do nosso armário, tudo para facilitar (e incentivar!) compras conscientes e planejadas.

Mas, você está no shopping e de repente vê uma peça linda que nem de longe está na sua listinha e você não tem a menor ideia de como usá-la, o que fazer? Ceder ao impulso ou resistir bravamente?

A resposta pode ser um meio termo de bom senso: tire um tempinho para pensar no assunto!

Você pode, por exemplo, provar a peça, tirar uma foto dela e ir pra casa refletir sobre a compra.

Muitas vezes, quando chegamos em casa já nem lembramos mais da tal tentação, então provavelmente foi um impulso de compra provocado pelo charme de uma vitrine bem montada ou por um estado de espírito momentâneo, bastante normal diante de algo que julgamos bonito.

Porém, se o objeto de desejo não sai da cabeça, aí cumpre analisar o mais friamente possível sobre o real valor dele no seu guarda-roupa, o que pode ser feito com três perguntinhas básicas:

1. Há outras peças que possam ser usadas com a nova aquisição? Você conseguiria montar pelo menos três looks com ela?
Se você tiver dificuldade (por se tratar de uma cor fora da sua zona de conforto ou de uma estampa mais ousada, por exemplo), vale pesquisar na internet, procurar referências… só não vale não ter ideia de como usar a peça e ainda assim querer comprar a todo custo, né?

2. O modelo favorece suas características pessoais, como tipo de corpo e tom de pele?
Nesse assunto vale dar uma espiadinha no post sobre autoconhecimento que rolou lá no Ideias de Estilo: quando a gente se conhece bem e sabe o que funciona ou não, fica mais fácil racionalizar o processo, pois como gostar de uma peça que não realça nossas qualidades ou, pior, ressalta o que não gostamos muito? Simplemente não vale a pena!

3. O custo-benefício compensa?
Às vezes uma determinada roupa custa um pouquinho mais, porém o tecido é de ótima qualidade, o corte é preciso, o caimento é perfeito e o modelo não segue nenhuma tendência muito pontual. Nesse caso, o preço compensa, pois você terá uma boa peça por muito tempo. Isso não quer dizer que você não possa se deixar levar por um tecido mais simples ou uma estampa super específica de uma coleção (caso lhe agrade e funcione no seu armário), apenas é importante estar consciente desses detalhes para pagar um preço justo e não se arrepender depois…

Aí então, caso você se pergunte tudo isso e ainda assim fique convencido de que voltar na loja e fazer a compra é um bom negócio, vá confiante e divirta-se com sua nova aquisição!
Afinal de contas, uma compra bem pensada dá muito mais satisfação do que uma compra por impulso, não é mesmo? 😉

http://ideiasdeestilo.blogspot.com.br/

260613_COMO RESISTIR A UMA COMPRA POR IMPULSO_PARCERIA BLOG ANDREA

Uma ideia sobre “Como resistir a uma compra por impulso?

  1. Pingback: Finanças pessoais: “o começo de tudo” | Organizz

Deixe uma resposta